Abramet renova mensagem em defesa de trânsito seguro para o Dia Mundial em Memória da Vítima de Trânsito

19/11/2021
De acordo com a Associação, objetivo de reverenciar as vítimas de sinistros e, mais uma vez, alertar a sociedade para a urgência e importância de uma nova conduta no trânsito A Associação Brasileira de Medicina do Tráfego (Abramet) mobiliza toda a comunidade vinculada à especialidade e se une aos atores públicos e privados para celebrar, no terceiro domingo de novembro, o Dia Mundial em Memória da Vítima de Trânsito. Em 2021, a data acontecerá em 21 de novembro, com o objetivo de reverenciar as vítimas de sinistros e, mais uma vez, alertar a sociedade para a urgência e importância de uma nova conduta no trânsito.

A Associação Brasileira de Medicina do Tráfego (Abramet) mobiliza toda a comunidade vinculada à especialidade e se une aos atores públicos e privados para celebrar, no terceiro domingo de novembro, o Dia Mundial em Memória da Vítima de Trânsito. Em 2021, a data acontecerá em 21 de novembro, com o objetivo de reverenciar as vítimas de sinistros e, mais uma vez, alertar a sociedade para a urgência e importância de uma nova conduta no trânsito.

A mobilização envolve desde o Conselho Nacional de Trânsito (Contran), até entidades e parlamentares dedicados à busca por um trânsito mais saudável, com a redução da incidência de sinistros com vítimas fatais e portadores de sequelas. “A construção de uma mobilidade mais saudável e segura está na origem da Abramet e da medicina do tráfego. É uma busca incessante para nós, para todos os médicos do tráfego, que atuamos em defesa da preservação da vida no trânsito e da prevenção do sinistro”, afirma Antonio Meira Júnior, presidente da entidade médica.

A data foi criada em 1993 pela RoadPeace, instituição de apoio as vítimas de trânsito do Reino Unido, e adotada em escala planetária em Assembleia Geral Das Nações Unidas de 2005. Com isso, o Dia Mundial em Memória das Vítimas do Trânsito é celebrado no terceiro domingo de novembro no mundo todo, pela promoção de ações de mobilização e educação para o trânsito, com foco na conscientização e em busca de um conjunto de objetivos:

  • Demonstrar que por trás de cada um dos milhares de números frios das estatísticas de mortos e dos feridos do trânsito brasileiro há um rosto, uma história de vida interrompida. Além dos familiares e amigos que não aparecem nas estatísticas, mas sofrem as consequências da violência no trânsito com a perda de um ente querido.
  • Promover a divulgação pública da dimensão dessa tragédia que, além do eterno custo emocional para os familiares, representa pesadíssimo impacto econômico e social para o país.
  • Promover a consciência de que as ocorrências trágicas nas ruas e estradas brasileiras são previsíveis e, portanto, absolutamente evitáveis.
  • Convocar a sociedade para, de forma civilizada e decidida, exigir das autoridades em todas as esferas de poder que enfrentem com determinação, coragem e respeito ao cidadão o desafio de reduzir essa “doença social” a níveis aceitáveis.
  • Convencer as autoridades municipais sobre a destinação de espaço público (via pública, praça ou jardim) destinado a reverenciar a memória das munícipes vítimas de trânsito na cidade, por meio da construção do Monumento em Memória das Vítimas de Trânsito.

 

Por iniciativa da ONG Trânsito Amigo, a data foi celebrada no Brasil pela primeira vez em 2007. A partir daí várias entidades e órgãos do SNT (Sistema Nacional de Trânsito) vêm realizando ações que, ao longo do tempo, vem se ampliando com novas adesões e alcançando quase todo o território nacional. A Abramet apoia a iniciativa desde o início.

Mobilização ampla

“Nossa expectativa é marcar a data de alguma forma, seja por meio de uma caminhada reunindo não só familiares de vítimas dos sinistros de trânsito, mas também cidadãos que entendam que podem melhorar a segurança no trânsito para todos que transitam, seja a pé, de bicicleta, num veículo ou mesmo no transporte público”, informa Fernando Diniz, presidente da ONG Trânsito Amigo.

Segundo ele, neste ano a Trânsito Amigo e seu braço nas rodovias, o SOS Estradas, assumiram a missão de dar visibilidade a essa data nas rodovias, buscando impactar todas as pessoas, entidades e empresas que atuam em prol da segurança rodoviária. “A data é uma oportunidade para aumentar a consciência pública em relação à inaceitável perda de vidas no trânsito, além de estimular a sociedade e os governos a apoiarem e desenvolverem ações e políticas que permitam reduzir as vítimas”, explica.

“Estamos todos juntos na busca de um trânsito mais seguro e iniciativas como a da ONU, que envolvem pessoas do mundo inteiro, são importantes momentos de mobilização e reflexão”, diz a deputada federal Christiane Yared (PL-PR), que perdeu um dos filhos em sinistro de trânsito e dedica o mandato parlamentar a construir avanços para estimular uma mobilidade mais segura. “Uma data como o Dia Mundial em Memória das Vítimas de Trânsito pode, também, trazer algum alento aos corações enlutados de quem tem que conviver diariamente com a dor da perda violenta de seus entes queridos em tragédias de trânsito”, acrescenta.

Segundo ela, para conscientizar é preciso continuar mobilizando a sociedade e o poder público. “É preciso continuar falando sobre o assunto e agindo. O trânsito une todos nós, motoristas, passageiros e pedestres. Necessitamos dele para ir e vir e precisamos que seja seguro, que proteja vidas!  Esta é a luta que nos impulsiona a seguir, em defesa de um trânsito mais seguro”, testemunha.

“No Brasil, assim como em outros países do mundo, observamos uma verdadeira epidemia de mortes decorrentes de sinistros de trânsito. São vidas que se perdem em incidentes absolutamente previsíveis e evitáveis, cuja proteção cabe a cada um de nós”, afirma Flávio Emir Adura, diretor científico da Abramet. Segundo ele, evitar o sinistro de trânsito é possível e deve ser objetivo de todo cidadão que se desloca. “Nós, na Abramet, lutamos por uma nova mentalidade, para engajar a sociedade em uma nova forma de se portar no trânsito, com mais respeito”.

Em seus mais de 40 anos de atuação, a Abramet tem contribuído para a criação de legislações e políticas públicas focadas na redução de sinistros com vítimas fatais e portadores de sequelas, assim como para o fortalecimento da prevenção já na concessão da Carteira Nacional de Habilitação (CNH), pela avaliação criteriosa do candidato a condutor. A entidade médica também produz e dissemina o conhecimento científico para balisar as melhores decisões do médico especialista, referenciando também todo o atendimento e atuação dos entes do sistema nacional de trânsito.

CARRETA ON LINE

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Seja o primeiro, faça seu comentário. ;)