Tragédia em rodovia de PG mata família de Rondonópolis.

12/01/2022
Corpo de caminhoneiro é encontrado após 5 horas de buscas na rodovia.

Um gravíssimo acidente tirou a vida de cinco pessoas damesma família na manhã desta quarta-feira (12). A tragédia aconteceu na BR-376, próximo a ponte do rio Tibagi, em Ponta Grossa, na pista que liga a capital ao interior. Dislei Martins Ramos, de 40 anos, estava conduzindo o caminhão, que saiu da pista e tombou. O casal e os três filhos morreram no local.

De acordo com as informações do 2º Grupamento de Bombeiros, os corpos da mulher, GeisebelPereira de Soi, de 33 anos, e das três crianças, Anna Luiza Souza Martins, de13, Amanda Priscila Souza, de 9, e Rebeca Souza Martins, de 3 anos,foram localizados e recolhidos logo na primeira hora do atendimento. O corpo do motorista foi encontrado após mais de 5 horas de buscas na rodovia.

O tenente Ribeiro, que trabalhou no resgate das vítimas, relatou que os corpos foram ejetados do caminhão. “Foi um tombamento. A carreta estava carregada com fertilizantes. Neste acidente, uma família inteira, moradores de Rondonópolis, no Mato Grosso, veio a óbito.”, disse. “Não podemos afirmar o que causou o acidente, a perícia esteve no local e deve apresentar mais detalhes posteriormente”, complementou o tenente. O caminhão foi removido ainda no período da manhã e a rodovia foi liberada, em meia pista, por volta das 11h.

Jhone Heverton Ramos Almeida é sobrinho do caminhoneiro. Morador de Rondonópolis, no Mato Grosso, ele contou como a família recebeu a notícia da tragédia que aconteceu em Ponta Grossa. “Uma moça entrou em contato com minha tia através das redes sociais. A gente ficou em dúvida em um primeiro momento e não acreditamos, porque é uma situação muito difícil”, disse o rapaz.

“Ele trabalhava há uns 7 anos na estrada. Meu tio era uma pessoa incrível, sempre foi um cara muito alegre, atencioso e eram poucas as vezes que ele viajava com a família, justamente porque ele tinha muito medo”, relatou o familiar. “Ele passou perto do Paraguai e havia falado comigo na semana passada. Este foi nosso último contato. Não é porque é meu tio, mas ele era o cara mais alegre que eu conheci. Não tenho palavras”, disse.

Um levantamento feito com uma funerária de Ponta Grossa mostra que os custos para transportar os corpos à cidade mato-grossense varia de R$ 20 mil a R$ 35 mil. São quase 2.750 Km de ida e volta e, após a liberação do IML e a preparação, o tempo de chegada a Rondonópolis é de aproximadamente um dia e meio. A transportadora Freitas Transportes de Carga Ltda anunciou que arcará com os custos de translado, velório e sepultamento da família.

Caminhão desgovernado atinge viaturas durante atendimento

Em um primeiro momento, equipes da Polícia Rodoviária Federal e do Corpo de Bombeiros isolaram somente uma faixa na altura do trecho do acidente. Enquanto os socorristas trabalhavam, umcaminhão desgovernado colidiu com os veículos oficiais que estavam no local. “Nossas equipes estavam fazendo buscas para encontrar a quinta vítima, quando um caminhão sem freio, desgovernado, atingiu as nossas viaturas. Graças a Deus houve tempo hábil de nosso pessoal se retirar da pista”, disse o tenente Ribeiro, do 2º GB

Orientação

Com o fim da concessão dos pedágios no Paraná, o Corpo de Bombeiros está empenhado nos atendimentos de acidentes em rodovias. “Sem pedágio, não há atendimento pelas equipes de socorro das concessionárias, então estamos cobrindo toda a região. Todavia, dependendo da localização, pode demorar um pouco mais. Além de fragmentos que acabam caindo de caminhões e restos de pneus demoram mais para serem retirados da pista”, alerta o tenente. “Pedimos atenção redobrada dos motoristas”, finalizou Ribeiro.

CARRETA ON LINE